sábado, 1 de agosto de 2015

E então, colheu a morte como uma velha amiga

.






“Deus tem um jardim, que é a Terra, onde toda vez que Ele quer colher uma flor, uma das mais bonitas, Ele vem, a tira da Terra e a leva com Ele!”


E num piscar de olhos uma pessoa fica vulnerável, em cima de uma cama, sem poder desfrutar das coisas mais belas da vida. E com seu tempo de sobra começa a refletir sobre o que fez na sua jornada. Nada de bom, o homem bateu na mulher, maltratou os filhos, foi um malfeitor, e acima de tudo, orgulhoso... e agora à beira da morte, nada que faça poderá mudar o seu destino, o seu fim.

E agora? A única coisa a fazer é se redimir? Pedir perdão a todos? Deixar o orgulho de lado? Afinal, a morte é a coisa mais obscura da vida e não podemos voltar atrás dos erros, não podemos consertar o que foi feito, mudar o que foi dito.


É nesse momento que a sua vida passa como um filme. E o homem se lembra de cada detalhe...

-Me iludi.

-Magoei.

-Bati em quem cuida de mim hoje.

-Não dei valor a quem chora no meu leito nesse momento.

-Não ajudei meu próximo.

-Caluniei Deus. O julguei, cobrei Dele o que eu nunca mereci. 

Eu precisava ir à luta, deixar meu orgulho de lado. Quem sabe então, Deus viria a meu encontro...

Mais que merda que vida eu levei!! Não fiz nada que agradasse a alguém! Olhando à minha volta, só restam ao meu lado a minha mulher e os meus filhos.


Cadê aqueles que se diziam meus amigos? Aqueles que passavam as tardes de domingo bebendo comigo no boteco? Tardes essas que faziam com que eu chegasse em casa e batesse em minha mulher, a minha esposa que hoje vejo como me ama, que enxuga meu suor, me dá banho, me alimenta...

Deitado aqui posso ver quem me ama de verdade e que, por incrível que pareça, são as pessoas que eu parecia mais odiar na vida.

A única coisa a fazer é aceitar a morte como uma velha amiga.

Ela, que sempre esteve presente na minha vida. Então que ela venha e me leve, assim terminarei com o sofrimento de todos à minha volta e com essa dor que invade e dilacera o meu peito. Dor estranha essa, que nunca senti. Um desses sentimentos que as pessoas diziam sentir e nos quais eu nunca acreditei. 

A morte é fácil, tranquila. Difícil é a vida. Nela cometemos muitos erros, nos machucamos, choramos, erramos… e por esses motivos hoje eu digo:

Que venha a morte, minha velha amiga! E que me perdoem todos à minha volta! E que me perdoe, meu Deus!!


Nesse momento, o homem suspirou como um último gesto de tristeza. Toda a sua vida passou rapidamente pela sua mente e ele, finalmente desistiu. Fechou os olhos e uma última lágrima escorreu pelo seu rosto.



(Baseado no texto de http://era-umaa-vezz.tumblr.com/post/78772556477/e-ent%C3%A3o-colheu-a-morte-como-uma-velha-amiga)
.