quarta-feira, 21 de setembro de 2016

O QUE HÁ DE VIR, VIRÁ!

.








Inicialmente você pode achar esse título bem clichê e realmente é. É óbvio demais, não é? Mas quer saber de uma coisa? Estou farta de ‘criatividade sem sentido’, sim, percebo muita gente com muitas ideias, mas nada de amor, de paixão, de real intuição. Até para escrever anda difícil, hoje existem palavras X que estão na maioria dos textos e que muita gente por aí reproduz nas redes sociais da vida. Mas e se o que falta no mundo é a simplicidade?

O que seria ser simples? O que seria caminhar na simplicidade? Não, não associe a roupas, sapatos, à escolha de objetos que custam menos no mercado, não! Simplicidade é o caminho plano que pode gerar ótimas surpresas. Simplicidade é muitas vezes andar no escuro, crendo na luz dos sonhos, na luz dos olhos, na luz das estrelas.

Sabe quando o barulho já deu? Pois é, o silêncio passa a convidar e as horas nele parecem infindavelmente mais aproveitadas do que em meio ao barulho de egos ensurdecedor. Ego! Quanto ego! Eu sou daquelas que reflete incessantemente e que não tem problema algum em mudar de opinião, já escrevi algumas vezes sobre pretensão, sobre a minha pretensão em sonhar e em ir atrás dos sonhos, mas hoje, não quero mais essa qualidade ‘neutra’ em mim, quero apenas deixar, largar sem largar, sabe?

Você sonha, acredita, luta, mas apenas caminha, vive e espera em silêncio. Apenas o silêncio. Pretensão! Eu usei tanto essa palavra para tentar me definir, definir a minha busca por mim mesma e pelos meus sonhos, mas hoje busco o silêncio, a simplicidade, as palavras fáceis de entender, de pronunciar e de escrever.

O que há de vir virá. E acredite, você não precisará fazer mais do que ser quem é, do que andar como ser aprendiz no Universo, não precisará fazer mais do que procurar viver sendo alguém digno no mundo.

Dizem que o mundo é dos espertos ou que todos precisam sempre “guerrear” porque o mundo é uma grande competição. E quer saber? Meu alvo então é perder. Perder esse prêmio tão quisto pela multidão, perder esse posto de ego inflado, de palavras repetidas e vãs. Não quero. Quero o silêncio, quero a reposta do Universo. A resposta certeira do Universo.

O que há de vir virá, meu bem. É caminhando no simples e no silêncio, é assim, sem essa pressa inútil, é assim, com essa certeza de que dias melhores estão por vir.



Daiana Barasa - Fonte: https://osegredo.com.br/2016/01/o-que-ha-de-vir-vira/
.