segunda-feira, 8 de junho de 2009

Quando tudo perde o sentido.

.
Hoje, após achar que nada mais me abalaria e que eu já havia provado todas as dores da vida, desmoronei.
Estava voltando de São Roque, me preparando para ir para Fortaleza conhecer minha neta que nasceu há quinze dias, quando meu celular tocou pela primeira vez.
Não atendi por estar dirigindo, na estrada, mas quando tocou pela segunda vez senti que deveria ser alguém que realmente tinha urgência em falar comigo.
Ao ver no celular o telefone residencial do meu filho, senti imediatamente que algo muito grave havia acontecido.
Parei imediatamente o carro no acostamento e liguei para o celular do meu filho. Quando Marcelo atendeu, pela sua voz, mesmo antes de receber a notícia, percebi que eu estava certa.
A notícia não podia ser pior.
Ele me disse, aparentando calma, mas nitidamente em choque:
- Mãe, a notícia é muito triste... A Carolina morreu.
Minha neta, a quem eu já amava mesmo antes de conhecer, havia acabado de falecer.
Senti o mundo girar e está girando até agora.
A dor é tão grande que tudo o mais perdeu o sentido.