quinta-feira, 8 de março de 2012

“Salve o 8 de março!” - Dia Internacional da Mulher

.






As Mulheres


“Elas brigam por aquilo que acreditam. 
Elas levantam-se para injustiça. 
Elas não levam “não” como resposta quando 
acreditam que existe melhor solução” 

 (Pablo Neruda)





Salve o 8 de março!



As palavras de Pablo Neruda em forma de poesia traduzem um sentimento universal do nosso comportamento de mulheres – daquelas que exercem as funções mais humildes às de maior responsabilidade política ou social; das que dispõem de tudo àquelas carentes de tudo.

O Dia Internacional da Mulher relembra que as mulheres dos mais diferentes rincões do mundo padecem dos mesmos preconceitos, das mesmas violências, das mesmas dificuldades em se firmar como ser humano.

O exemplo de luta das operárias norte-americanas sacrificadas no começo do século passado é relembrado em todo o mundo para nos reafirmar a disposição de luta em conquistar novos e importantes espaços na sociedade, no universo masculino que ainda domina o mundo.

No Brasil, a luta está apenas começando. Comemoramos recentemente 80 anos do direito da mulher de votar e ser votada, mesmo com inúmeras restrições que, felizmente, foram eliminadas com o correr dos anos.

Os recentes dados do Censo de 2010 do IBGE comprovam como a mulher ainda é severamente discriminada no Brasil. No trabalho, por exemplo, elas recebem 42% a menos do que os homens, exercendo as mesmas funções!

Já somos a maioria da população, 41% da População Economicamente Ativa (PEA), responsável pela sustentação de 25% das famílias brasileiras, a maioria do eleitorado brasileiro, porém ainda não conquistamos os espaços políticos compatíveis com nossa presença na sociedade.

Mulheres, no Brasil, ainda são mortas, brutalmente assassinadas como vimos na década de 90 com nossa saudosa Ceci Cunha; ou em 2012, com as duas vítimas de Queimadas, na Paraíba, atraídas por supostos “amigos” para uma festa, estupradas e mortas.

A Lei Maria da Penha é um instrumento que nos ajuda a combater a violência doméstica, é uma lei moderna, mas que infelizmente ainda não intimida os maridos, namorados, noivos e/ou companheiros, como vimos também recentemente no assassinato de uma procuradora em Minas Gerais.

Portanto, esse 8 de março de 2012 deve servir, para nós mesmas, como uma data de recomeço, de renovação de forças e de energias para continuarmos nossa luta por um mundo melhor, onde não haja qualquer tipo de discriminação e de violência contra a mulher.

Porque, como nos fala a poesia de Neruda, nós nos levantamos contras injustiças e não aceitamos um “não” quando sabemos que podemos alcançar mais.

Vamos à luta!





Thelma de Oliveira  - Fonte: https://www2.psdb.org.br/index.php/agencia-tucana/artigos-e-entrevistas/artigos/salve-o-8-de-marco-artigo-de-thelma-de-oliveira 
.