quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Como está a Saúde na Estância Turística de São Roque - Uma vergonha - Contando ninguém acredita!

.





Para quem não sabe, aqui na cidade de São Roque, temos um único hospital que presta atendimento ao SUS, a Santa Casa de São Roque, que atende, além do próprio Município, a diversos municípios da região que não possuem hospital.

Apesar de ser uma empresa privada, para manter o atendimento do SUS a toda esta população, especialmente à mais carente, a Santa Casa depende em grande parte, de convênios firmados com a Prefeitura de São Roque, que é responsável pelo repasse da verba do SUS e, principalmente, de um convênio assinado pelo Prefeito anterior e vigente até o final de 2014, que complementa a verba, conforme a quantidade de atendimentos realizados.

Pois bem, um dos itens deste convênio permite à Prefeitura (ao atual Prefeito, portanto) em troca desta “verba extra”, que pode ser retirada a qualquer momento, pois tem a sua origem em “aditamentos”, indicar o Administrador da Santa Casa que, como foi dito acima, é uma empresa PRIVADA (Fato que, na minha opinião, já é uma aberração. Mas tem mais...).

Pois pasmem!!! O atual Prefeito da cidade, usando das prerrogativas que o convênio lhe confere, solicitou a troca da Administradora indicada pelo Prefeito anterior, uma pessoa detentora de experiência e formação para o cargo e indicou um ex-vereador que não conseguiu se reeleger e que é.... Técnico em Eletricidade!!!

Não é brincadeira não! A indicação foi aceita pelo Provedor da Santa Casa de São Roque e hoje, o administrador do único hospital do Município que atende ao SUS e que é considerado, inclusive, como sendo uma referência na região, tendo em vista os excelentes serviços que presta à população, é um eletricista sem nenhuma experiência e formação para o cargo.

Depois não sabemos porque, no Brasil, a saúde pública vai mal...

No Brasil o público e o privado se misturam vergonhosamente ao bel-prazer dos políticos que administram as Prefeituras e os Estados, sendo que o mesmo acontece no Governo Federal, sempre em detrimento das necessidades reais da população. 


Coisas do Brasil, onde é possível que um hospital, para continuar a dar atendimento à população mais necessitada por intermédio do SUS, tenha que se sujeitar a ser refém da política de uma cidade. 

Como todos sabem, o que deu origem às Santas Casas de Misericórdia no Brasil, em Olinda, Pernambuco, no ano de 1539, foi a preocupação com a situação dos enjeitados e marginalizados.

(Para saber mais, acesse o Link: http://www.cmb.org.br/index.php/component/content/article/25-institucional/historia/179-as-santas-casas-nasceram-junto-com-o-brasil - “As Santas Casas nasceram junto com o Brasil”)

Mas também, o que se pode esperar do atendimento à Saúde em uma cidade em que o Secretário de Saúde na gestão anterior era um Veterinário que foi exonerado e obrigado a devolver uma vultosa quantia aos cofres públicos e que foi imediatamente substituído por uma...Veterinária?

Como se pode ver, a falta de médicos em São Roque não se restringe aos Postos de Saúde, conforme é de conhecimento de todos que deles necessitam, tendo se refletido até mesmo na escolha do primeiro escalão da administração do Município, o que faz com que o Município seja dependente do atendimento da Santa Casa que, por sua vez, em consequência de convênios assinados se vê obrigada a aceitar os desvarios das gestões da Prefeitura e que, ainda, faz com que hoje a Santa Casa seja refém da política do Município... 


E você, o que acha disso?


(Opinião do Blog)
.