sábado, 3 de janeiro de 2009

Você sabe quem é o autor destas frases? (5)

.
- A vida se contrai e se expande proporcionalmente à coragem do indivíduo.

- Não vemos as coisas como são: vemos as coisas como somos.

- A carne contra a carne produz perfume, mas o contato com as palavras apenas engendra sofrimento e divisão.

- A origem da mentira está na imagem idealizada que temos de nós próprios e que desejamos impor aos outros.

- O erotismo é uma das bases do conhecimento de nós próprios, tão indispensável como a poesia.

- A única anormalidade é a incapacidade de amar.

- A nossa vida em grande parte compõe-se de sonhos. É preciso ligá-los à ação.

- O único transformador, o único alquimista que muda tudo em ouro, é o amor. O único antídoto contra a morte, a idade, a vida vulgar, é o amor.

- Ajusto-me a mim, não ao mundo.

- A vida se espande ou se encolhe de acordo com a nossa coragem.

- Eu escolho um homem que não duvide de minha coragem, que não me acredite inocente,
que tenha a coragem de me tratar como uma mulher.

- O amor nunca morre de morte natural. Ele morre porque nós não sabemos como renovar a sua fonte. Morre de cegueira e dos erros e das traições . Morre de doença e das feridas; morre de exaustão, das devastações, da falta de brilho

- Subtraia a superintensidade, o chiado das idéias, e você tem uma mulher que ama a perfeição.

- Chorei porque não era mais uma criança com a fé cega de criança. Chorei porque não podia mais acreditar e adoro acreditar. Chorei porque daqui em diante chorarei menos. Chorei porque perdi a minha dor e ainda não estou acostumada com a ausência dela.

- Me nego a viver em um mundo ordinário como uma mulher ordinária. A estabelecer relações ordinárias. Necessito o êxtase. Não me adaptarei ao mundo. Me adapto a mim mesma.

A Autora:

Anaïs Nin (21 de fevereiro de 1903, Neuilly, perto de Paris - 14 de janeiro de 1977, Los Angeles) foi uma autora francesa que se tornou famosa pela publicação de diários pessoais, que medem um período de quarenta anos, começando quando tinha doze anos. Foi amante de Henry Miller e só permitiu que seus diários fossem publicados após a morte de seu marido.

Foi realizado no cinema um filme, Henry & June, dirigido por Philip Kaufman, que falava do período que Anaïs Nin conheceu Henry Miller. Anaïs Nin foi interpretada pela atriz portuguesa Maria de Medeiros.

Obras:

Em busca de um homem sensível
Henry & June
Pequenos pássaros
A casa do incesto
Uma espiã na casa do amor
Fome de amor
Diários Íntimos
Delta de Vênus

Fontes: wikipedia.org / www.pensador.info