sábado, 24 de maio de 2014

Nutricionista organiza refeição de R$ 3 e ensina dona de casa a economizar

.



 
 
E no dia a dia, como economizar? Dona de casa de mão cheia, a paulistana Marly está se tornando craque em driblar os preços altos na cozinha. Ela pesquisa em folhetos anota os melhores preços, está sempre bem informada.

Mas Marly não quer correr atrás apenas de produtos baratos. Ela quer pôr na mesa uma comida mais saudável.

“Às vezes, alguma coisinha dá um trabalhinho, um pouco mais, mas é muito melhor”, diz Marly Rostovocev Pirani, dona de casa.

Nutricionista afirma que suco natural é melhor em tudo

Saudável sim, mas e o preço? O suco feito em casa não seria mais caro do que aquele que já vem pronto? É exatamente isso que as nutricionistas da faculdade de Saúde Pública da USP decidiram comprovar. Para elas não restam dúvidas: o suco natural é melhor em tudo.

“Não vai ter o conservante, o corante, todos os aditivos que são acrescentados no alimento industrializados, e a gente consegue economizar também no bolso”, explica Samantha Andrade, nutricionista – USP.

“Um litro de néctar na maioria dos supermercados custa entre R$ 4 e R$ 6 reais. Se você for no mercado comprar R$ 4 de laranja, você consegue fazer mais do que um litro com essas laranjas em R$ 4”, explica Marina Perez, estudante de Nutrição.

Orientações durante as compras

A equipe do Globo Repórter acompanhou a Marly fazendo compras em um supermercado, para ver como ela enfrenta essa temporada de alta nos preços. O desafio foi fazer uma compra econômica, que resultasse em uma refeição saudável e nutritiva. A nutricionista da faculdade de Saúde Pública da USP, Samantha Andrade, acompanhou as compras e deu orientações.

E a Samantha aconselha que metade do prato deve ser composto de hortaliças e legumes, itens que mais subiram na tabela de preços. Então o jeito é procurar bem.

Dicas na escolha dos alimentos

Uma dica: na dúvida prefira um produto multifuncional como a couve.

Para economizar nas ervas e temperos fresco, Samantha ensina um truque. “O que dá para fazer é higienizar bem, limpar e congelar”, explica a nutricionista.

Aprender a variar o cardápio também é importante. “A gente tem opção de levar a abóbora que tá um pouco mais barata, é um alimento que em termos nutricionais substitui a cenoura”, explica ela.

No lugar da carne, a coxa de frango. “A gente sabe que a carne é importante, mas não precisa fazer a carne todos os dias da semana”, orienta a nutricionista.

“As frutas também aumentaram, então o que a gente tem que ver, aquelas frutas que estão na época” explica Samantha.

Colocando a mão na massa

Compras feitas, agora é só colocar a mão na massa. Marly capricha na cozinha. Salada, arroz, feijão, coxa de frango com abóbora, suco de limão e de sobremesa, creme de abacate.

O resultado daquelas compras e da manhã de muito trabalho da Marly está em um almoço bonito e colorido, cheiroso.

“Eu gostei bastante foi bem com alimentos variados, ele está, tinha comentado, bem colorido no final, que fornece bastante nutrientes”, avalia Samantha.

Preço bom e refeição aprovada

E o preço dessa refeição completa?

“Deu R$ 3,04”, revela Samantha.

Um prato feito custa em média R$ 10 reais na capital paulista. Bonito, barato e gostoso. A família aprova.

“Nota dez. Tá ótimo”, avalia o marido da Marly.
 
 
(Fonte: http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2014/05/nutricionista-organiza-refeicao-de-r-3-e-ensina-dona-de-casa-economizar.html)
.