domingo, 16 de janeiro de 2011

Michel Temer também pediu passaporte especial para filho

.


Quando deputado, Michel Temer pediu passaporte especial para filho 


O vice-presidente da República, Michel Temer, ministros de Dilma Rousseff, além de lideranças partidárias, solicitaram passaportes diplomáticos e vistos para turismo, muitos deles com seus familiares, segundo registros da Câmara.


Dados da segunda-secretaria revelam que Temer, então presidente da Casa, solicitou, em abril do ano passado, passaporte diplomático para seu filho, Michel Temer Filho, 2. Também solicitou visto de turismo para Marcela Temer e o filho irem a Nova York, e para o próprio deputado ir a Dubai.



O atual ministro de Relações Institucionais, Luiz Sérgio, que até o ano passado era deputado, pediu visto de turismo para seu filho, Filipe Veríssimo de Oliveira, e para ele irem a Nova York.


Outro ministro e ex-deputado que usou a prerrogativa foi Pedro Novais (Turismo), que pediu à Câmara a emissão de passaporte diplomático para a companheira, Maria Helena de Melo, e visto para Miami.


Os pedidos constam de relatório que engloba apenas metade da atual Legislatura. Vão de fevereiro de 2009 até ontem. Dos 662 vistos, 577 foram para turismo e só 69 para missões diplomáticas, segundo a Câmara. 

A concessão de passaporte diplomático para congressistas e seus dependentes é legal. O presidente da OAB, Ophir Cavalcanti, no entanto, diz que é imoral um parlamentar pedir o documento e o visto para fazer turismo. "Não há no mundo precedente a esse privilégio".


O presidente da Câmara e candidato do PT para permanecer no cargo, Marco Maia (RS), disse que "é bobagem perder tempo com essa discussão". "Me estranha que o presidente da OAB tenha dado essa declaração sobre a Câmara e não sobre os outros Poderes", afirmou. Maia também solicitou, em junho de 2009, a revalidação do passaporte diplomático de sua companheira.


Na semana passada, a Folha revelou que o Itamaraty concedeu o documento a dois filhos maiores de idade e um neto de 14 anos do ex-presidente Lula. O Itamaraty alegou que a decisão foi tomada em "em caráter excepcional" e "em função de interesse do país".


Consta também na Câmara um pedido de visto de turismo feito pelo ministro da Casa Civil e ex-deputado, Antonio Palocci, para ir a Nova York de 17 e 23 de março do ano passado. 

Por meio de sua assessoria, Palocci negou que tenha solicitado um visto para fazer turismo e que nesse período estava em Cancún participando de uma reunião do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).



Algumas das principais lideranças do Congresso também pediram o passaporte diplomático e vistos de turismo. O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), pediu para sua companheira, Maria de Lourdes Medauar, ir a Miami.


Já o líder do PT, Fernando Ferro (PE), pediu o documento para sua filha, Flaira Fernanda Ferro, e sua cônjuge, Thereza Cardoso.


Geddel Vieria Lima fez diversos pedidos à Câmara: para o filho Geddel Filho, a filha Marianna Lima e a cônjuge, Alessandra Lima. E o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), pediu um visto para Priscila Alves.


Parlamentares afirmam que não há abuso em passaporte especial

 
Políticos que fizeram os pedidos para obter passaportes diplomáticos e vistos para turismo, segundo os registros da Câmara, minimizaram ontem a concessão do benefício. A justificativa é que a medida tem amparo legal e não representa nenhum tipo de abuso.

O vice-presidente, Michel Temer, então presidente da Câmara, disse que os vistos solicitados para sua família não foram utilizados porque as viagens não se concretizaram. Temer requisitou vistos para Dubai, porque faria viagem oficial à China, e EUA, que desistiu de visitar por causa da campanha eleitoral. 

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que o documento é usado por todos os deputados e que não há restrições para que seja utilizado apenas em viagem oficial. 

O líder do PT, Fernando Ferro, disse que sua filha usou o passaporte para fazer um curso de inglês nos Estados Unidos e que sua mulher passou apenas três dias no país para acompanhá-la. 

O ministro Pedro Novais (Turismo) informou, por meio de sua assessoria, que, apesar de requisitar o visto para ele e sua mulher entrarem nos Estados Unidos, o processo não foi finalizado e a viagem acabou não se realizando. 

A assessoria de imprensa do ministro Luiz Sérgio (Relações Institucionais) disse que ele não foi encontrado para fazer os esclarecimento sobre o caso. 

A reportagem não localizou o ex-deputado Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) e o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), que também solicitaram o documento para familiares.


(Maria Clara Cabral,  Márcio Falcão e Gabriela Guerreiro - Folha - http://www1.folha.uol.com.br/poder/857770-quando-deputado-michel-temer-pediu-passaporte-especial-para-filho.shtml)