segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

REFLEQUIÇÕES



I Agora mesmo, na reunião de advogados (especialistas em eteceteras e data vênias) pela "liberdade de expressão", estava escrita, enorme, no muro atrás dos discutidores, a frase famosa de Voltaire: "Não concordo com uma palavra do que dizeis, mas defenderei até a morte o vosso direito de dizê-las". Retórica pura do Voltaire, que conhecia muito bem a natureza humana. A frase correta, mais perto da realidade, é: "Concordo plenamente com tudo o que o senhor diz, mas farei tudo o que puder pra tapar sua boca".
Nunca acreditei nessas pomposas frases retóricas. Me lembro muito do grande radialista Henrique Foreis Domingues, o Almirante, "a maior patente do Rádio". Quando ele mandou colocar, enorme, por trás de sua mesa de trabalho, a frase "Rádio só é diversão para quem ouve. Para quem faz é um trabalho como outro qualquer", coloquei na parede atrás da minha mesa, na revista O Cruzeiro: "Humorismo só é diversão pra quem faz. Pra quem lê é uma chateação como outra qualquer".

II Psicanalista é o especialista em falar de corda em casa de enforcado.

III Quando você começa já está terminando.

IV Brasil – um país enorme com homens bem pequenininhos.

V Noutro dia vi um programa de televisão em que o Lula falava pouco e com extraordinário bom senso. Ou seja, estava completamente fora de si.

VI AINDA ME LEMBRO (e parece que foi ontem)
Todas as manhãs os moradores de um extenso quadrilátero de Laranjeiras, que compreende a vizinhança da Comunidade Pereira da Silva (considerada a favela com melhor qualidade de vida e menor criminalidade no Rio), o luxuoso parque Guinle, o Palácio Laranjeiras e ruas próximas, têm o prazer de ouvir as palavras de ordem que os soldados do Bope lançam aos quatro ventos, enquanto fazem o cooper pelas ruas do bairro. Num domingo, por exemplo, fui acordado com as seguintes pérolas: "Bandido favelado não se varre com vassouras/ se varre com granadas, com fuzil, metralhadora"; e ainda "O interrogatório é fácil de fazer/ pegar o favelado e dar porrada até doer e o interrogatório é muito fácil de acabar/ pega o bandido e dá porrada até matar". Com tais amostras edificantes de ideologia policial, como os cidadãos ainda se sentem desprotegidos?

VII Mais difícil do que interpretar a atual situação financeira é interpretar uma interpretação dos economistas sobre a atual situação financeira.

VIII A minha filosofia de vida é um não sei como pra um não sei o quê.

IX Como os tempos mudaram! Há vinte anos, ser bicha só muito escondido.
E machão não precisava disfarçar.

X E COMO SE ESGANIÇAVA, COM TODA A RAZÃO, A MULHER DE PITÁGORAS:
"Eu não agüento mais! Não é mais possível viver com você! Outra vez a toalha da mesa toda riscada, toda suja! Quantas vezes eu já lhe falei para não fazer tábuas de logaritmos na toalha?! E com essa tinta, de pó de pedra, que não sai! Olha aí, tudo riscado, traçado, uma porcaria! Mamãe é que tinha razão, eu devia ter casado com o dono da fábrica de escudos e não com um professorzinho de aritmética! E além disso só inventa besteira. Olha aqui só: A hipotenusa é igual à soma do quadrado dos catetos! Ah, ah, ah, ah, que engraçadinho! Só besteira! Só bobagem! Só pensa em bobagem!".
.