sexta-feira, 10 de junho de 2011

Droga para tratar doença da vaca louca pode prevenir Alzheimer


.


Anticorpos presentes na medicação evitam danos a células do cérebro

Doenças degenerativas: com a morte dos neurônios, o cérebro entra em um processo que dá origem a doenças como Alzheimer e Parkinson
Doenças degenerativas: com a morte dos neurônios, o cérebro entra em um processo que dá origem a doenças como Alzheimer e Parkinson (Creatas Images/Thinkstock)

Um medicamento em teste para tratar a doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ), mais conhecida como doença da vaca louca, pode significar também um avanço importante no tratamento do Alzheimer. De acordo com pesquisa publicada no periódico científico Nature Comunications, dois anticorpos presentes na droga conseguem evitar que as células cerebrais sejam danificadas, uma das causas mais comuns da demência.
Segundo o achado da equipe da Universidade de Dublin, os anticorpos ICS-18 e ICSM-35, presentes na medicação, ajudam a preservar o funcionamento do cérebro e a prevenir a perda de memória, sintoma característico do Alzheimer. "Se for provado que esses anticorpos são seguros no tratamento da DCJ, os testes em humanos poderão ter início também para o Alzheimer", diz John Collinge, coordenador da pesquisa.
Segundo Domingos Walsh, coautor do estudo, o uso desses dois anticorpos em humano já passaram pelos testes clínicos exigidos, mas para o tratamento de outras doenças. "O próximo passo é validar seu uso para o Alzheimer e, em seguida, começar os testes clínicos em humanos", diz.
Clique nas perguntas abaixo para saber mais sobre o Alzheimer:

David Schlesinger, pesquisador no Instituto do Cérebro do Hospital Albert Einstein fala sobre a doença de Alzheimer.


*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.

(Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/droga-usada-para-tratar-doenca-da-vaca-louca-pode-prevenir-o-alzheimer)
.