quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Mercador - Mercadante

.


O MERCADOR DE ILUSÕES

Senador Mercadante,

Quando a Corte portuguesa tentava forçar o Brasil a retornar à posição de colônia, emitiu um documento determinando o retorno imediato do Regente a Portugal, o que causaria um retrocesso no nosso processo político. No dia 9 de janeiro de 1822, o jovem D. Pedro precisou de 3 minutos para proferir uma frase histórica “ Se é para o bem de todos, e felicidade geral da nação, diga ao povo que Fico ! “

Hoje, 187 anos depois, quando a escória política brasileira tenta nos manter no fundo do poço ético, o que impede o nosso progresso político, um experiente senador precisou de 23 minutos para proferir seu epitáfio político “ se é para o bem da camarilha e para infelicidade geral da nação, diga ao povo QUE MICO !! “

É isso aí senador, Napoleão dizia que “ o clamor das batalhas, é que separa os homens dos meninos “, o senhor teve a chance de ser Homem, mas oPTou pelo menino carteiro carregador de cartas, diferente daquele jovem Imperador, que decidiu cortar seus laços com seu País e abriu mão de uma coroa européia, para organizar um novo País, fazê-lo independente, e cunhou em nossos peitos o orgulho de sermos brasileiros. O senhor escolheu o pessoal, ou melhor “ o seu pessoal “ .

Acabei de assistir ao seu pronunciamento. Que cena patética! Nem sombra daquele senador, que 2 dias antes, com toda empáfia, com voz firme e ótima entonação, tentou macular a carreira de uma profissional, que por mais de 30 anos desempenha com total competência e lisura o seu trabalho como funcionaria concursada da Receita Federal, tudo isso, para acobertar uma guerrilheira ladra e assassina, contumaz em mentiras, a ponto de falsificar seu currículo. Com certeza, se o senhor tivesse agido com aquela desenvoltura no passado, o Delubio, o Zé Dirceu, o Valdomiro, o Zé Paulo Cunha, o Silvinho do Jeep, e outros componentes dos 40, teriam sido condenados, e certamente o Ali Babá não o teria chamado à caverna, para lhe cobrar “ amizade “, e expô-lo ao ridículo.

O que vimos, foi um pato manco ou um boi castrado num curral de touros, gaguejando, abatido, e surpreso com um plenário ás moscas, sem seus liderados, que mostraram o quanto és “ imprescindível “ , tentando justificar o injustificável, e apresentando balelas.

Com dizia Andy Warhol “ todos temos o direito a 15 minutos de glória “, o senhor precisou de 23 minutos para enterrar o seu passado. Que pena que não tivesse continuado como professor de economia, que pena que não tenha usufruído da bolsa de estudos na Europa, assim, não teríamos presenciado o seu reconhecimento ao afirmar “ desilusão política e frustração por não conseguir resguardar seus princípios “, “ esbarramos no PMDB e na direção do meu Partido ( PT ) “, “ esta não foi nunca a minha posição “. A que ponto o senhor chegou, depois de confessar tanta abnegação política, fica fácil comprovarmos que o Dossiê existiu, e que nós já estávamos na presença de um Marionete.

O senhor citou Tocqueville “ O Parlamento existe para preservar as garantias “, é verdade senador, mas a afirmação de Alexis Tocqueville não era para garantir a impunidade dos pilantras, os atos secretos, o nepotismo, nem as mentiras ministeriais, senador, ele falava de garantias do povo. Mas num ponto, a biografia deste pensador francês se parece com a sua agora “ Ele não foi adotado nem pela esquerda nem pela direita, permanecendo suspeito á todos. “ Dessa, nem a Ideli Salva-ti !

Que farsa dizer que o Presidente não o tenha convencido após 5 horas de reunião, e que só o conseguiu com essa carta matinal, mentira, ele o esculhambou, e o senhor capachamente, lhe solicitou este bilhetinho, para justificar tamanha subserviência. É claro que sabemos que ele não consegue se expressar em 5 horas, e que precisaria de 5 dias para escrever aquela carta de 4 parágrafos, nota-se claramente o dedo do Ducci ou do Franklin : “ Dificuldades e divergências fazem parte de nossa caminhada, mas são menores que ela “, o Presidente tem razão, principalmente quando esta estrada termina no Tesouro Nacional ou na Petrobras; “ É o sacrifício que faz um mundo melhor “, mais uma filosofia do eminente, acadêmico e culto Presidente, e ele está certo, o mundo de vocês está muito melhor, agora existem coberturas, viagens, empregos para os pelegos,nepotismo, participação nos PACs, e etc.

Por que o senhor nos fez perder 23 minutos senador ? Seria muito mais fácil imitar seus professores : “ A crise não é minha, é do Senado “, “ Eu não sei quem é esse rapaz “, “ Essa nomeação foi feita pela Roseane “ ( SARNEY ); “ Toda minha fortuna veio da produtividade das minhas vaquinhas “ ( RENAM ) ; Eu não sabia de nada “ ( LULA ) ; “ Eu nunca vi essa mulher “ , “ Cadê sua agenda “ ( DILMA ).

Segundo o senhor “ conversei com minha mulher Regina, e com meus filhos Pedro e Mariana, refleti e tomei a decisão de sair, mas...me aconselhei com a Dilma, o Pallocci, o Zé Dirceu, o Berzoine, o João Pedro, a Ideli,o Lula, e até com o Arthur Virgilio, e eles me pediram pra ficar “. Senador, com esses conselheiros, Deus teria feito o Mundo em 2 dias, e consumiria os outros 5 pra cobrar entrada, e Ali Babá não teria procurado mais 31 facínoras pra completar seu bando.

Quem sabe se o senhor tivesse procurado a Senadora Marina, ou o Senador Arns, ou o Senador Cristovão, talvez eu não estivesse aqui escrevendo. Talvez eles ao invés de Tocqueville, citassem Immanuel Kant ( Crítica da Razão Pura ) “ Quem dispõem da liberdade de poder agir moralmente é alguém tão especial que não existe nada superior a essa pessoa “. “ Ele age de tal maneira que o motivo que o levou a agir passa a ser convertido em Lei Universal. “ ( KANT )

Quanto ao seu “ amigo Bispo lá do Norte “, que afirma que não se pode abandonar o barco ao primeiro sinal de entrada de água, ele está certíssimo, num mar de corrupção os últimos a abandonarem o barco são o Comandante e os ratos, como o Comandante ainda está Lá, fique mais um pouquinho.

Que cena pastelão o seu pedido de desculpas á Regina, ao Pedro e a Mariana, mas o senhor esqueceu os Paulos, os Josés, as Marias, os Carlos, as Sonias, etc. Aos milhões de pessoas, que assim como sua família acreditaram e elegeram a competência moral de um homem, que poderia ser uma alternativa digna pra nossa esperança. Nossa esperança, que havia superado o medo, acabou perdendo pra covardia.

Só espero senador, que os motivos que o levaram a esse débâcle moral, não estejam ligados a etmologia do seu nome : Mercadante, Mercador, Negociante :” Cidadão que através do comércio vende seus serviços e bens, em troca de dinheiros ou benesses “.

Pra finalizar senador, discordo do Joelmir Betting, que o comparou a um boneco ventríloquo : bem vestido, mexe com a boca, emite sons, sentado no colo do “ amigão “, pra mim, o senhor pareceu um fantoche, apesar de bem vestido, parecia um “ Trapo “ .

(Tadeu Abrahão Fernandes)