quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Um exemplo a ser seguido

.

Paraná deve ter teste gratuito de paternidade

Governo assinou acordo para instalação de laboratório. Trabalhos devem começar em março de 2010.

O governo do Paraná assinou um acordo para instalação do Laboratório de Paternidade na Universidade Estadual de Londrina (UEL) e compra de equipamentos para testes de paternidade com análise de DNA. No estado, 2 mil exames de paternidade esperam julgamento, segundo nota divulgada pela Agência Estadual de Notícias, do governo paranaense.

Com a construção do Laboratório de Paternidade, quem está com o processo judicial na fila poderá receber gratuitamente o resultado do teste. A administração estadual informa que o exame feito na criança e no possível pai custa cerca de R$ 300. A previsão é que todos os processos parados sejam julgados.

Segundo Mário Mantovani, diretor do Centro de Ciências Biológicas da UEL, o início dos trabalhos está programado para março de 2010. “O maior investimento a ser feito será nos reagentes. Em cada caso podem ser feitos vários testes, como em duas possibilidades de pais. A meta será solucionar os 2 mil casos, independentemente do número de exames”, disse o diretor.

O investimento é superior a R$ 2 milhões. Da quantia total, R$ 1,9 milhão foi repassado pela Secretaria de Estado da Criança e da Juventude. Outros R$ 216 mil são aplicações da Secretaria de Ciência Tecnologia e Ensino Superior, que serão destinados para treinamento e contratação de pesquisadores para o novo laboratório.

Universidades

Além da UEL, outras quatro universidades estão envolvidas no projeto. São elas: a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp) e Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

O papel das instituições será na capacitação de profissionais.

Para garantir que a aplicação dos recursos seja usada corretamente, o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente e a Secretaria da Criança e Juventude vão fiscalizar o destino da verba.

(Fonte: g1.globo.com)