quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Direito de Resposta – João

 .



 Nos últimos dias estive pensando em qual atitude deveria tomar com respeito à resposta que recebi do João sobre a postagem "Resposta ao comentário do João" e, na minha opinião, como havia feito uma postagem em resposta ao seu comentário, não seria justo simplesmente colocar sua resposta entre os comentários, porque não teria a mesma visibilidade. 

Como a postagem, para meu espanto, se tornou "popular" no dihitt, achei que, ainda por uma questão de justiça, deveria dar ao seu comentário, o mesmo tratamento. 

Para tanto, abri no "Hora do Recreio", democraticamente, a seção "Direito de Resposta".





Olá Berenice!

Lamento você ter continuado no ataque.

Lamento mais ainda não ter entendido o que tentei te passar.

Escrevi outro texto, pois talvez minha forma de escrita esteja confusa, visto que sou jovem e ainda não domino nossa língua como deveria, mas sei que vou dominar em breve. ;D

Irei postar em 3 partes; não sei se caberia em apenas um comentário. Não quero sua resposta. Desejo sua leitura.
Aí vão os três comentários, que são, em conjunto, apenas um. 


Não Berenice...
Não povo...
Vocês não me entenderam...
Acredite, não votei na Dilma! Nem votei no Serra!
Não voto em ninguém! E minhas razões para tomar essa atitude não precisam ser explicadas, e também são tão extensas, envolvem tantos parâmetros, que eu deveria escrever um livro para descrevê-las, e não um comentário. Tal livro seria explicativo, e não tendencioso, pois cada um faz o que quer. Porém, cedo ou tarde o bem comum inunda a alma das pessoas. Nisso eu acredito.
Vocês não entenderam o espírito do meu comentário.
Em vez de entenderem, partiram para o ataque! Apontaram o dedo e disseram: PETISTA!  rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
Eu não vou entrar nesse jogo, porque tenho opinião sim, e foi a que coloquei no meu comentário. Pouco me interesse se concordam, respeitam ou acreditam no que escrevi. Não vai mudar nada no presente momento mesmo! Mudará no futuro. Quando o bem comum vier para cada um.
Está bem vai, vou falar brevemente sobre política. Talvez assim vocês entendam o que eu quis dizer.
Nos 8 anos do governo FHC, muita coisa boa foi feita! A inflação caiu, o Real prosperou, o país iniciou um bom caminho para se tornar importante perante questões políticas e econômicas lá fora, e muitas outras coisas boas. O resultado do governo FHC foi muito positivo!
No governo Lula, muita coisa boa também ocorreram; a fome diminuiu muito, muitas universidades federais nasceram, a pós-graduação foi muito bem amparada, o país está forte economicamente (sim, está forte, acredite), e muitas outras coisas.
Não importa se - no caso do governo de Lula - foi uma continuidade do FHC ou não, o importante é que, se analisar tudo (tudo, prós e contras), o resultado também é positivo!
Assim como o resultado também será positivo quando, num futuro próximo, o PSDB governar novamente. E certamente governará.
Portanto, os dois, FHC e Lula, fizeram coisas boas ao país. Porém, também fizeram coisas ruins, ou deixaram de fazer coisas imprescindíveis para alavancar o crescimento econômico, político e intelectual das pessoas!
Vou dar um exemplo: ambos não trataram da educação como deveriam.
Nós temos tudo aqui no Brasil, tudo o que um país precisa para ser desenvolvido. A única coisa que está faltando, e que é gritante, é uma instrução adequada para s pessoas!
Com a instrução adequada, diminuem vários outros problemas. Vários! Inúmeros!
Agora, mirar somente os defeitos de FHC ou de Lula não me parece uma análise inteligente, respeitosa e justa.
E generalizar os eleitores do PSDB como elitistas e capitalistas selvagens, e os do PT como burros e dependentes que mamam nas tetas do governo, é uma atitude menos inteligente, respeitosa e justa ainda!
É isso que quis dizer: mirar somente os defeitos não leva o país nem ninguém a nada!
Por isso, não vou apontar outros defeitos dos governos do PFL (agora DEM) e PSDB, nem os do PT. Sei que eles existiram e existem, e sei quais são. Não fará diferença descrevê-los. Além do mais, não quero que esta nossa conversa se prolongue Berenice.
Olha, eu fiz aquele comentário, porque me senti mal ao ver uma generalização dos eleitores com uma posição política, como sendo todos burros, hipócritas, e semi-analfabetos.
Também iria ficar irado se visse um post com críticas generalizadas aos simpatizantes do PSDB, do tipo: seus eleitores elitistas de uma figa! Seus pseudo-intelectuais de uma ova! E assim vai...
Mais uma vez vou reforçar o conteúdo do primeiro comentário; agora vou usar um exemplo para ilustrar; considere coisas boas feitas por um partido como sendo forças positivas, e as coisas ruins como sendo forças negativas. No final do processo, mas no final mesmo, talvez anos depois, quando forem somadas estas forças, de ambos os governos que nos últimos 16 anos governaram o país, o saldo é positivo. A força resultante é positiva. E ponto.
E agora respondo; por que não me agrada esse tipo de post no DiHITT?
Simplesmente, porque essa comunidade está funcionando muito bem, com muitos textos de elevado nível cultural, bons textos que tratam de auto-ajuda, com humor de qualidade, com notícias interessantes, com dicas muito úteis, e o mais importante: com HARMONIA entre seus usuários.
Essa harmonia é o fator que mais me agrada no DiHITT! Você manda um vídeo, as pessoas comentam inteligentemente e te congratulam! Você manda um texto de auto-ajuda, e os comentários são os mais agradáveis que já vi! Está muito legal!
Claro, há exceções.
Mas é a mesma coisa sobre a política: a força resultante é positiva. No DiHITT, está muito positiva!
Essa harmonia somente é quebrada com este tipo de post Berenice, em que, querendo ou não, chama para a briga as pessoas de opinião distinta, e que ofende parte da população, com generalizações PRECONCEITUOSAS.
Não me importa qual sua atividade, se é professora, funcionária pública, ou outra coisa, mas peço que raciocine: vale a pena ter preconceito, ofender o semelhante, rebaixar as pessoas por meio de chacotas relacionadas à forma da escrita errada (gramática), e ainda por cima achar que isso é um pensamento nobre, evoluído, sábio?
Acho que não. Não melhoraremos (o homem como uma espécie) pensando dessa forma.
A discussão acaba aqui, pois desisto. Odeio discussão, por isso fiz o primeiro comentário, com o intuito de tentar fazer você rever sua postura perante as pessoas.
Termino este recado, lhe desejando tudo de bom, sinceramente, sem ironia.
Desejo que você se preocupe com coisas nobres e importantes de verdade. Só isso.
Quero o bem das pessoas, quero o bem do meu semelhante. Quero o seu bem Berenice.
Volto depois somente para saber se recebeu tudo.

Forte abraço!

.