quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Em protesto, Google e Facebook podem fazer "blackout" de seus sites

.
Google é um dos sites que podem fazer "blackout" de sua página em protesto a lei antipirataria que está em discussão no Senado americano


 
Os sites mais acessados da internet pretendem desligar os seus serviços em protesto contra a lei antipirataria S.O.P.A, em discussão no Senado americano.

A NetCoalition, associação das empresas contrárias à aprovação da lei - que inclui eBay, Facebook, PayPal, Linkedln, Google, Yahoo e outros - afirmou que a ação de protesto ainda não foi definida. Mas, ao que tudo indica, a ação bloquearia usuários de fazer algumas buscas no Gooogle ou Wikipedia, publicações no Facebook e Twitter, ou ainda pagamentos através do PayPal. No lugar das páginas, mensagens apareceriam incentivando os usuários a reclamar da lei.

Se a lei for aprovada, os sites passam a ser responsáveis pelo conteúdo publicado pelos usuários. Em caso de ilegalidade por parte dos internautas, a punição pode recair para os donos do site. “Esse tipo de coisa não acontece porque as empresas normalmente não colocam seus usuários nessa posição”, disse o executivo Mark Erickson à Fox News. “A diferença é que essas normas alteram profundamente o modo como a internet funciona”. O executivo acredita que as pessoas “precisam entender o efeito que essa legislação terá sobre quem usa a internet”.

Em Novembro passado, as empresas de internet que são contra a lei enviaram uma carta ao Congresso americano mostrando preocupação em relação à lei e as consequências para a indústria e para a “cibersegurança nacional”.


.