segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Lula: Aliado da Corrupção e Patrono dos Desvios

.






Pois é. As tais provas que “não existiam” contra o ministro dos esportes e o atual governador do DF finalmente foram mostradas. Gravações em que aparecem negociando e comentando as repercussões dos “acertos” de que falava o PM “dedo duro” (que todos diziam ser um mentiroso) colocaram por terra a defesa pífia e os ridículos apelos emocionais que caracterizam todas as desculpas esfarrapadas dos corruptos infiltrados neste governo, quando são apanhados com a boca na botija.

As “calúnias”, as “mentiras” e as “ilações” (palavrinha que eles adoram usar) acabaram se transformando em verdades “verdadeiras” e jogaram por terra qualquer tese de defesa que se apresente para impedir a queda de mais um ministro do governo Dilma apanhado no ato de arrecadar dinheiro para os partidos aliados (ou para si mesmo) através dos desvios de verbas públicas.

Também como não podia deixar de ser, o arauto da corrupção; o papa da acomodação e o mestre da esperteza vem das profundezas do seu ostracismo momentâneo para se manifestar, mais uma vez, na defesa do mal; do corrupto e do que prejudica a todos nós.

Falo do ex-presidente Lula. O “Doutor Honoris Causa” da corrupção política brasileira vem a público recomendar ao ministro dos esportes que resista no cargo a todo custo. Segundo Lula; Orlando Silva deve ter “paciência e coragem” para aguentar o bombardeio de acusações, provas e protestos; sem renunciar para “não prejudicar” a imagem do governo Dilma.

Na verdade, o que Lula teme mesmo é que os que o idolatram acordem para a incrível regularidade com que seus indicados para os ministérios de Dilma (todos os seus ex-ministros) estão sendo apanhados, um a um, em atos de improbidade e corrupção flagrantes e contumazes. Mostrando claramente que durante o seu governo foi montada uma verdadeira máquina para roubar os cofres públicos; burlar as leis e arrecadar o que fosse possível para engordar os caixas dos partidos políticos e as fortunas pessoais deles, de seus ministros e de seus apadrinhados.

Ao recomendar paciência e coragem a Orlando Silva; Lula dá o mesmo conselho que distribuiu à vontade nos casos de flagrantes de corrupção descobertos em seu governo. Afinal, segundo ele, sempre há a possibilidade de surgir um novo escândalo ou uma notícia bombástica que acabe retirando o foco dos noticiários do ladrão da vez e jogando para o esquecimento do povo, facilmente manipulável, as falcatruas cada vez mais gritantes e volumosas (para boa parte dos políticos brasileiros, devia acontecer “um onze de setembro” toda semana).

Mesmo que, dotados da maior boa vontade, não julgássemos o flerte e o apreço constante que o ex-presidente mantém com corruptos de todos os níveis e graus algo execrável; é no mínimo uma tremenda falta de ética e de senso republicano interferir diretamente no governo de outro presidente (mesmo de seu partido) orientando o que deve ou não deve ser feito por esse ou aquele ministro.

Para alguns, isso pode deixar claro que quem puxa as cordinhas que fazem Dilma saltar é a dupla Lula e José Dirceu; interferindo a todo instante e limitando a intenção da presidente de substituir ministros indicados por Lula (envolvidos em escândalos variados) para não sinalizar o que já mencionamos acima e “melindrar” o “Grande Líder”.

Lula, mais uma vez, cumpre o seu papel de arauto da ilegalidade, de aliado da corrupção e de patrono dos desvios de verbas públicas.

Certamente, quando morrer, será canonizado e terá uma imagem erguida numa linda catedral erguida com gordo superfaturamento e destinada à “Imaculada Corrupção”. Nessa catedral, bem no centro da nave principal, toda em ouro contrabandeado e ao lado dos dois maiores expoentes dessa religião São Sarney e São Calheiros; descansará a estátua do Messias Bêbado de Caetés.

E, para nós, só restará dizer:

Ó Senhor, tende piedade de nós!



.