quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Mais um golpe no governo Dilma

.


Alan Marques (Folha)



Decisão de Gurgel deve apressar a queda de ministro


A decisão do procurador-geral da República Roberto Gurgel de investigar Orlando Silva deve apressar a queda do Ministério dos Esportes.

Antes de voar para a África, no domingo (16), Dilma Rousseff determinara a Orlando que se defendesse das acusações do delator João Dias.

De volta a Brasília na noite desta quinta (20), a presidente pretende chamar o ministro para uma conversa. Deve ocorrer antes do fim de semana.

Na expressão de um auxiliar de Dilma, ela quer “retirar o Ministério dos Esportes das páginas policiais.”

Consolida-se no Planalto a avaliação de que Orlando já não reúne condições políticas para se manter na Esplanada.

Prevê-se que o quadro tende a agravar-se com o pedido de abertura de inquérito que o chefe do Ministério Público remeterá ao STF.

Sob investigação, Orlando Silva terá de depor na condição de suspeito. Seus atos administrativos serão varejados. Pode ter os sigilos bancário e fiscal quebrados.

Ainda que saia do processo com atestado de inocência, seu calvário será longo. Mantendo-o no cargo, Dilma carregará a cruz junto com ele.

Nessa teoria, dividida com Dilma em conversas telefônicas, conviria ao Planalto dividir o problema em dois, um pedaço jurídico e outro político.

Juridicamente, Orlando é inocente até prova em contrário. Politicamente, seria melhor que ele cuidasse de sua defesa fora do ministério.

Do contrário, o governo converteria a pasta dos Esportes numa repartição monotemática. Só se falaria do programa “Segundo Tempo”, foco das denúncias.

A organização da Copa-2014 e das Olimpíadas-2016, as duas prioridades que Dilma elegeu para o setor, iriam a um plano secundário.

O caso de Orlando Silva é comparado ao do petista Antonio Palocci, apeado da Casa Civil depois que se descobriu que multiplicara o patrimônio em 20 vezes.

A consultoria que fez a fortuna de Palocci era privada. O procurador-geral Roberto Gurgel mandou ao arquivo a representação feita contra ele. Ainda assim, caiu.

No caso de Orlando, a acusação refere-se a atos administrativos praticados no ministério. E Gurgel enxergou indícios suficientes à abertura de um inquérito.

Dilma já planejava trocar Orlando na reforma ministerial que fará até o final de janeiro. Por ela, nem o teria nomeado. Manteve-o a pedido de Lula.

A julgar pelo que se ouve no Planalto, a presidente tende a apressar a providência.

Nos subterrâneos, o PCdoB, partido de Orlando Silva, já trabalha com a hipótese de perder o ministro.

Confirmando-se o infortúnio. Orlando descerá à crônica do primeiro ano da Era Dilma como sexto escalpo a ser levado à bandeja - o quinto a perder a cabeça por razões ético-morais.



(Josias de Souza - Fonte: http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/arch2011-10-16_2011-10-22.html#2011_10-20_00_43_53-10045644-0)







E TEM MAIS!!!






Ministro usa a Advocacia da União para processar PM





O ministro Orlando Silva (Esportes) utilizará advogados remunerados pelo contribuinte para processar judicialmente seus acusadores.


Em texto veiculado na web, o ministério informa: “Advocacia da União defenderá ministro Orlando Silva de calúnia.”

Anuncia-se para esta quinta (20) o ajuizamento de uma “queixa-crime” contra o PM João Dias e o motorista Célio Soares Pereira.

O primeiro acusou o ministro de operar um esquema que desviou verbas do programa ‘Segundo Tempo’ para as arcas do PCdoB.

O segundo disse à revista Veja que entregou propina ao próprio Orlando Silva, na garagem do Ministério dos Esportes.

O processo será protocolado em São Paulo “pela Advocacia-Geral da União”, o texto repisa.

Quer dizer: além de conviver com dúvidas sobre a destinação que o ministério dá aos impostos, o brasileiro é intimado a bancar advogados para o ministro.

Beleza. E se Orlando Silva virar ex-ministro?





**********************




Mais uma vez a Presidente Dilma se vê às voltas com a verdadeira "Herança Maldita", a que lhe foi deixada pelo Ex-Presidente Lula. É o sexto Ministro escolhido e apoiado por ele que vemos envolvido em "maracutaias", e um nível de corrupção nos Ministérios como nunca foi visto "nessepaís".
(Opinião do Blog)


.