sábado, 12 de novembro de 2011

Lupi promete tudo, até amor

.

Ilustração-Cadu Tavares



Contos de fadas e histórias infantis têm muitas interpretações. O psicanalista Bruno Bettelheim se especializou nessas análises. As próprias canções populares, como a de Ronaldo Bôscoli, são também uma interpretação poética: lobo bobo, promete tudo, até amor/ mas fraco de lobo é ver o chapeuzinho de maiô.

Minha análise é só política. O lobo na história é o pragmatismo, o Chapeuzinho Vermelho são as vinculações históricas do PT com uma ideia de classe operária.

Ao longo desses anos, na luta eleitoral, o PT cresceu também entre desempregados e pessoas que dependem da Bolsa Família. Mas os trabalhadores, pelo menos no discurso, continuam sendo importantes.

Dizer, como o líder Paulo Teixeira, do PT, que seu partido apoia Lupi é uma visão fantástica do mundo do trabalho. Se o Partido dos Trabalhadores acha mesmo que Lupi deve permanecer, cai por terra toda essa história de respeito ao seus representados.

Lupi não só dirige um Ministério acusado de desvios, como se mostrou, ao longo da semana, despreparado para o cargo.

Aquela história de sair só à bala, pode ser interpretada como uma franqueza típica de um homem do povo. Tudo bem. Mas uma franqueza que revela também desprezo pela democracia e seus ritos.

Finalmente, a declaração pública de amor a Dilma confirmou a sensação de que estamos vivendo um gênero consagrado pelo cinema nacional: a chanchada.

Para a oposição é cômodo continuar com Lupi no Trabalho porque é um permanente desgaste para o governo.

As intervenções de Lupi, durante a semana, pelo seu despreparo, mostram como foi longe o pragmatismo. Tanto o PT como a CUT podem até apoiar Lupi. Mas deveriam ser chamados ao debate. Não é possível que convivam, naturalmente, com a galhofa na área que dizem tanto respeitar.

Sobre Lupi, Dilma diz que o passado já passou. Mas ela sabe muito bem que, mal resolvido, o passado sempre reaparece para nos assustar.

O passado não passará, enquanto Lupi não for demitido. Dilma espera o lenhador na forma de novas denúncias. Não percebeu que , como peixe, Lupi também morreu pela boca.

Ele se afogou nos anzóis de suas bravatas e juras de amor. Nada de balas, apenas amendoim. Incapaz de de uma análise mais profunda, o governo insiste num caminho equivocado e quer manter Lupi.

A ameaça do PDT de deixar a base não é assim tão fatal. Lupi fez inúmeras programas de tevê denunciando a corrupção no governo Lula. Depois aderiu e nunca mais tocou no assunto.

Ele é descartável como nas fotos em que beija mão. Dilma talvez hesite pensando em evitar uma vitória da imprensa que levantou as denúncias

É um erro não tomar decisão apenas porque está sendo pedida pelo adversário. Abraçar o erro e tocar o barco serve apenas para agravar a situação.

Numa célebre cena de um western, um mexicano pendura um americano na árvore e diz: vou ter de lhe matar para provar que gosto de você.

Quantas juras de amor, Dilma está preparada para suportar? Quando vai ouvir os conselhos da vovó e dizer que com lobo não sai só?



.