domingo, 11 de julho de 2010

Velejar é preciso

.



O chanceler brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, que também está presidente da República, encerrou hoje sua estada de dois dias no Chile e repete a dose amanhã no Equador. Na agenda, estreitamento das relações do Brasil com a Comunidade Andina. Só faltou na mesma agenda uma esticada até Caracas para um abraço de confraternização com o companheiro Chavez, reassegurado no trono da Venezuela.

Na semana passada, o chanceler Lula esteve igualmente estreitando relações com o novo governo da República Republicana, com sobras para o jogo da paz da seleção no Haiti. Resta saber qual é a próxima viagem do presidente ao Exterior, provavelmente na primeira semana de setembro. Ou qual é a agenda do presidente nesta sua próxima visita a Brasília, a partir de quinta-feira.

Bem, nada contra a exposição internacional do presidente Lula. Isso soma para o ego dele e do PT e para a imagem adocicada do Brasil. O problema é que governar não é velejar. Governar é despachar. Um pesado batente de gabinete, 10 horas por dia, de segunda a sábado, com direito a churrasco domingueiro na Granja do Torto. É o que pede um Brasil ainda em estado de emergência nacional.

Ocorre que o presidente vai completar agora em agosto 20 meses de governo com a seguinte distribuição dos 608 dias de agenda presidencial: 241 dias pelo mundo, 212 dias pelo Brasil e apenas 151 dias em Brasília.

Para cada dia em Brasília, três dias velejando pelo Brasil e pelo mundo. Ou se preferem: em 20 meses, 40 viagens ao Exterior, visitando 63 países.

Vai para o Guiness. Ganha até do secretário geral da ONU.

(Fonte: jornaldecaruaru.wordpress.com -
26/04/2010)

Nota do Blog:

Até aqui, em 40 meses de governo, o presidente Lula já cometeu 102 viagens ao mundo. Ou mais de duas por mês, tal como, semana sim, semana não. Sem contar as 283 viagens pelo Brasil...

Hoje, dia 15, ele completa 382 dias fora do país desde a posse. E pelo Brasil, no mesmo período, 602 dias fora de Brasília.


Exatos 984 dias fora do Palácio, em exatos 1.201 dias de presidência. Equivale a 81,9% do seu mandato fora do seu gabinete. Isso explica a tese de que ele não sabia e nem sabe de nada do que acontece no Palácio do Planalto.

FHC, em 8 anos de governo, gastou R$ 58 milhões, criticados pelo PT. Lula, até agora, em menos de 7 anos, gastou R$ 584 milhões! (Se levarmos em conta somente as despesas identificadas pela imprensa.)
.