sexta-feira, 15 de outubro de 2010

MST entra para valer na campanha de Dilma

.

 

A candidata Dilma discursa em Sergipe com boné do MST
A candidata Dilma discursa em Sergipe com boné do MST



A presidenciável do PT, Dilma Rousseff, acaba de ganhar um apoio importante: o MST e seu braço internacional, a Via Campesina — que espalha os métodos do movimento América Latina afora  (menos na Venezuela e em Cuba…) — decidiram se engajar para valer na campanha petista. É um apoio que a candidata recebe de bom grado, como se vê na fato acima.

Não faz muito tempo, João Pedro Stedile, o chefão do MST, admitiu em entrevistas que, com Dilma, as invasões de terra serão facilitadas. É compreensível a mobilização, não é mesmo? 

O governo também repassa recursos milionários ao movimento, que não existiria sem o apoio oficial. Nesta manhã, a propósito, cerca de 150 integrantes do movimento invadiram a superintendência estadual do Banco do Brasil, que fica no RibeirãoShopping, em Ribeirão Preto (SP). São os moderados. 

(Reinado Azevedo - Veja)

Estes são os métodos dos aliados incondicionais de Dilma.

 


Quatro meses após integrantes do MST terem invadido seis fazendas no sul do Pará, os fazendeiros ainda não conseguiram reconstruir o que foi destruído. Os produtores rurais não conseguem nem mesmo encontrar trabalhadores para reconstruir as propriedades depredadas porque todos estão com medo dos integrantes do movimento.

Os sem terra que invadiram as fazendas ainda estão na região e voltaram a atacar uma das sedes que estava em reforma. A equipe do Jornal da Band sobrevoou uma das propriedades até o acampamento do MST. Em novembro, em um vôo como este, a equipe foi recebida a tiros pelos sem terra. Desta vez, a viagem foi mais tranquila.

A Justiça havia decretado a prisão de seis integrantes do MST que participaram da invasão das fazendas do grupo Santa Bárbara, mas os líderes fugiram e, na sexta-feira passada, o decreto de prisão foi anulado.

Em outras regiões do país, no entanto, a impunidade começa a mudar. Em 2009, foram presos 74 militantes do MST, quase o triplo do ano anterior. Em fevereiro deste ano, a Justiça abriu inquérito contra 22 integrantes do MST acusados de invadir e depredar a fazenda da empresa Cutrale, em São Paulo. Os denunciados vão responder em liberdade por formação de quadrilha, furto e danos à propriedade rural.

Em Santa Catarina, três militantes foram presos, suspeitos de planejar invasões. No Pará, foram expedidos mandados de prisão para quatro líderes do MST. Só no mês de janeiro deste ano, foram expedidos 27 mandados de prisão em todo o Brasil, número igual a todo o ano de 2008.

(Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=jEXpkAd6oFo&feature=player_embedded)