sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Os novos aloprados - Histórico de notícias

.



O jornalista Amaury Ribeiro Júnior chega para depor na PF, em Brasília 
PF indicia Ribeiro Júnior



Jornalista admitiu ter elaborado dossiê para atingir o presidenciável tucano José Serra. Material estava em poder da pré-campanha de Dilma Rousseff

 
Envolvido na elaboração do dossiê contra o candidato tucano à Presidência, José Serra, o jornalista Amaury Ribeiro Júnior foi indiciado nesta segunda-feira por quatro crimes: quebra de sigilo funcional, uso de documento falso, corrupção ativa e suborno de testemunha.

O jornalista, que depôs pela quarta vez à Polícia Federal, falou por mais de seis horas horas aos investigadores. De acordo com a corporação, Amaury apenas ratificou o que havia dito nos depoimentos anteriores, e se negou a dar novas informações.


Amaury Ribeiro Júnior havia admitido anteriormente ter reunido informações sobre pessoas próximas a José Serra. Ele pagou 12 mil reais ao despachante Dirceu Rodrigues Garcia em troca da quebra de sigilo fiscal da filha do candidato, Verônica Serra, e do marido dela, Alexandre Bourgeois. As informações de Verônica foram obtidas com uma procuração falsa, providenciada pelo contador Antonio Carlos Atella.

 
O jornalista também foi o mandante da quebra de sigilo do presidente nacional do PSDB, Eduardo Jorge, e de outras pessoas ligadas ao partido. Ele admitiu ter mantido contato com a pré-campanha da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff. Mas alega que o dossiê contra Serra foi copiado de seu computador por Rui Falcão, petista que é um dos coordenadores de campanha da candidata.

Apesar de o depoimento ter se encerrado há mais de uma hora, Amaury permanece na Superintendência da Polícia Federal. O advogado do jornalista, Adriano Bretas, deve conversar nos próximos minutos com a imprensa. A Polícia Federal ainda não informou se Amaury será detido ou irá aguardar o julgamento em liberdade.

Advogado nega crimes




O advogado de Amaury, Adriano Bretas, negou que seu cliente seja o responsável pelas quebras de sigilo. "Em momento algum ele admitiu ter quebrado o sigilo ou encomendado a quebra de sigilo fiscal", declarou Adriano aos jornalistas, após o indiciamento. Em nota, o jornalista também negou realizar militância partidária, e alega ter realizado atividades decorrentes do ofício de jornalista investigativo.

(Gabriel Castro - http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/pf-indicia-amaury-ribeiro-junior-por-quatro-crimes)



Em maio, reportagem de VEJA revela que integrantes da pré-campanha da petista Dilma Rousseff tentaram contratar um grupo de arapongas cuja missão seria bisbilhotar adversários políticos e aliados incômodos, numa reedição do escândalo dos "aloprados", como o presidente Lula chamou os trapalhões envolvidos em dossiê contra rivais do PT em 2006. Em junho, descobre-se que um deles obteve dados fiscais sigilosos do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge. Era o primeiro de uma longa lista de vítimas de quebra de sigilo em postos da Receita Federal, em que figuram até a filha e o genro do candidato tucano à Presidência, José Serra.
 
RELAÇÕES PERIGOSAS: As conversas às quais VEJA teve acesso mostram que o braço direito do presidente Lula, Gilberto Carvalho, e a candidata à Presidência Dilma Rousseff tentaram usar o Ministério da Justiça para executar “tarefas absurdas”

Intrigas de estado

Diálogos revelam que Ministério da Justiça recebeu e rechaçou pedidos de produção de dossiês
 
Reprodução de trecho do depoimento de Amaury Ribeiro Junior à Polícia Federal

Elo

Jornalista diz que Rui Falcão copiou dados

E que investigou tucanos por conta própria
Fachada da Receita Federal em Mauá

Investigação

R$ 12 mil para quebrar o sigilo

PF aponta ligação com pré-campanha de Dilma
 
Registro de filiação ao PT do servidor que acessou dados de EJ em em MG

Perguntas & Respostas

Entenda a violação em série de sigilos

Saiba quando o acesso a dados é permitido
Envolvido na quebra de sigilo da filha de Serra, o contador Antonio Carlos Atella Ferreira é fotografado próximo ao posto da Receita Federal em Mauá (SP)

PF

Contador é indiciado por falsa procuração

Documento deu acesso a dados da filha de Serra
 
Ministro Guido Mantega

Pacote

Fazenda revisa regras de segurança

Medidas preveem demissão de servidores
Adeildda Ferreira Leão dos Santos

PF

Servidora da Receita em Mauá é indiciada

Adeildda disse que vendia dados fiscais
 
O corregedor-geral da Receita Federal, Antonio Carlos Costa D'Ávila, concede entrevista na porta do Ministério da Fazenda, em Brasília, nesta segunda-feira

Defesa

Servidora acusa Corregedoria

Ana Maria é suspeita de forjar autorizações
Dilma, Padilha e Dutra

Campanha

Governo, Receita e PT: reação ensaiada

Cúpula promove 'esforço concentrado'
 
Receita Federal Verônica Serra

Investigação

Receita tentou abafar denúncia de violação

Órgão sabia de acesso a dados da filha de Serra
Quem é quem infográfico

Infográfico

Os personagens do escândalo

Conheça o papel de cada envolvido
 
O ex-presidente e sociólogo Fernando Henrique Cardoso

Artigo

FHC condena 'democracia virtual'

Ex-presidente vê risco de retrocesso democrático
O que diz a lei - infográfico

Infográfico

Saiba o que
diz a lei

Entenda os crimes e
conheça as penas
 
Fachada da Receita Federal em Mauá

Investigação

Indiciamento tem nova versão

Receita não fala em 'venda' de dossiê
Eduardo Jorge em coletiva do PSDB, São Paulo, 19/07/2010

Motivação

EJ rebate alegações da Receita Federal

Órgão encobre interesse político, diz tucano
 
A candidata do PT, Dilma Rousseff, participa de entrevista no Jornal Nacional

Vazamento

Dilma defende punição 'drástica'

Candidata refuta ligação com campanha
Luiz Carlos Mendonça de Barros

Violação

Mais três tucanos foram vítimas

Entre eles, o ex-ministro Mendonça de Barros
 
Wagner Cinchetto, ex-sindicalista - 12/08/2010

Exclusivo

Surge mais uma testemunha

Wagner Cinchetto revela montagem de dossiês
Logo do blog Sobre Palavras

Sobre Palavras

De alorpados a aloprados

Termo rejuvenesce no calor da política
 
Radar on-line - thumb

Radar

Cinco dias depois, Sérgio Rosa reage

Acusações são 'infundadas', diz
Gerardo Santiago, advogado e ex-diretor da Previ

Vídeo

Fazer dossiê, uma 'tarefa rotineira'

Ex-diretor da Previ acusa fundo de servir ao PT
 
blog do reinaldo azevedo

Blog

Reinaldo Azevedo

No passado, terrorismo; no presente, dossiês
Fernando Pimentel abre mão de sua candidatura

PT

Pimentel decide contra-atacar Serra

Petista afirma que vai à Justiça contra tucano
 
Diogo Mainardi

Coluna

Diogo Mainardi

No meio jornalístico, Lanzetta é "Laranza"
Secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, se negou a divulgar os nomes dos responsáveis pelo suposto crime, com o argumento de que há sigilo constitucional

Vazamento

Secretário da Receita silencia no Senado

Cartaxo invoca sigilo e não divulga nomes
 
Luiz Lanzetta

Equipe

Lanzetta deixa campanha de Dilma

Jornalista é apontado pivô do esquema
Delegado Onézimo Sousa: oferta de 1,6 milhão de reais para saber tudo o que falavam os adversários

Acervo digital

"Era para
levantar tudo"

Delegado confirma: Serra era alvo
 
Fachada da casa onde grupo de petistas se reunia com a missão de espionar adversários do PSDB e do próprio PT

Acervo digital

Ordem na casa do Lago Sul

Comando do PT teve de intervir pesado
 
 

Histórico de notícias sobre Os novos aloprados