segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Peça-chave do caso Erenice, ex-diretor dos Correios presta depoimento à PF

.
DÊ UM

DIGA NÃO À DILMA E AO PT

NO SEGUNDO TURNO, VOTE COM CONSCIÊNCIA


O ex-diretor de Operações dos Correios, Marco Antonio Oliveira, está prestando depoimento na Policia Federal em Brasília no inquérito que investiga tráfico de influência no governo Lula.

Oliveira é considerado peça-chave para desvendar a atuação da empresa de lobby que pertence na prática ao filho da ex-ministra Erenice Guerra e ao sobrinho dele, Vinícius Castro.

O sobrinho foi contratado para trabalhar na Casa Civil pela então ministra Dilma Rousseff, candidata do PT à sucessão presidencial. Dilma também era ministra quando a empresa de lobby negociou contratos entre o setor público e privado. Erenice era à época sua secretaria executiva. Ela deixou o cargo por causa do escândalo.

Marco Antonio disse à revista "Veja" que o sobrinho recebeu propina dentro da Casa Civil, que seria pela compra de Tamiflu pelo governo. O Ministério da Saúde nega intermediação da pasta.

O ex-diretor também disse que a Irma foi usada como laranja para abertura da empresa de lobby porque o sobrinho não poderia aparecer por ser funcionário do governo. E confirmou à Folha que apresentou ao seu sobrinho o consultor Rubnei Quícoli, interessado na liberação de empréstimo do BNDES.

Vinicius Castro depôs na ultima quarta-feira e se recusou a apresentar explicações. Amanha será a vez de Israel e Saulo Guerra, filhos de Erenice.

(Andreza Matais - Folha)