domingo, 11 de abril de 2010

Pegou mal, não é Presidente...

.

Ao se dar conta de que a repercussão de suas palavras podia prejudicar a campanha de Dilma, Lula resolveu se desculpar, alegando que tudo não passou de um "mal entendido", que
"utilizaram de má-fé para dar uma interpretação fora do contexto", quando expôs em público, em alto e bom som, como desconsidera as decisões do Poder Judiciário quando o mesmo vai contra as suas ideias e objetivos.


Agora me diga, Presidente...

Por que pediu desculpas à Dilma, ao PT, aos "cumpanhêros" e não ao Poder Judiciário? O desconsidera tanto que não o acha merecedor de suas desculpas?

Não sei se entendi bem, mas...

Se suas palavras não prejudicassem a campanha da "cumpanhêra", não haveria retratação?

(N.E.)

Leia abaixo, na íntegra, notícia veiculada hoje, na Folha Online, a respeito do assunto.



Lula pede desculpas por declarações sobre o Judiciário

da Agência Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu desculpas neste sábado (10) à ex-ministra e pré-candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff, e ao PT pelas declarações que fez sobre o Poder Judiciário na última quinta-fei
ra (8), durante evento em que o PC do B demonstrou apoio à candidatura. Lula disse que foi mal interpretado.

"Jamais pensei em fazer críticas ao Poder Judiciário. Fiz uma crítica aos partidos políticos, que não estabelecem uma legislação eleitoral definitiva para não permitir que a gente fique subordinado a interpretações dos juízes", disse Lula. (NE: Se entendi bem, com uma nova legislação, os Juizes não dariam, deveriam ou poderiam dar sua própria interpretação às Leis?)

Durante evento realizado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), Lula disse que alguns veículos jornalísticos utilizaram de má-fé para dar uma interpretação fora do contexto do que falou na última quinta-feira. "Na verdade, fora do contexto é possível fazer essa interpretação", afirmou, ressaltando que "jamais prejudicaria a campanha de Dilma".

"Jamais estaria, em minha cabeça, a ideia de prejudicar o nascimento de um filho que ajudei a colocar no mundo".

Lula ressaltou que essa é uma discussão que deve ser feita no Congresso Nacional. Segundo ele, a lei tem que ser a mais perfeita possível para que não ser mal interpretada. (NE: Enquanto isso não acontece, que tal obedecer às Leis que estão em vigor?)

(Fonte: Folha Online - Notas do Editor do blog)