segunda-feira, 5 de abril de 2010

Porque as coisas não funcionam...

.

Às "Elites Governantes" deste país.

Falo do nosso Brasil. Outros países têm seus próprios problemas. Alguns até bem maiores que os nossos...

Enquanto o povo passa fome...

Está tudo no Diário Oficial da União, com número de licitação e tudo.

DESPESAS DO GABINETE PRESIDENCIAL:
1995 - FHC - R$ 38,4 milhões
2003 - LULLA - R$ 318,6 milhões
2004 - LULLA - R$ 372,8 milhões - (R$ 1,5 milhões por dia útil de trabalho).

Em vista disso, pergunto...

Suas Excelências já descobriram porque é que, "neste país" as coisas públicas não funcionam?

O governo não governa.
O legislativo não legisla.
O judiciário não dispensa justiça.
O transporte público não transporta público.
A saúde pública não previne e nem cura.
A previdência não ampara.

Aumentar esta lista é fácil, mas é também tedioso, inócuo e pleonástico.

A razão é muito simples...

Não funcionam porque não foram feitas para funcionar. Foram feitas para dar emprego, arrebanhar votos, enriquecer,
conseguir poder e vantagens inomináveis.

Eu gostaria de ver alguns de nossos "governantes" (de qualquer dos "poderes") sair de casa para trabalhar, esperar um ônibus durante quarenta minutos, entrar numa lata de sardinhas apinhada, barulhenta e com os amortecedores vencidos há décadas, dirigida por um energúmeno que crê ser sua a força do motor da máquina e que tenta afirmar sua masculinidade desafiando os outros motoristas, os pedestres, os motociclistas e maltratando seus próprios passageiros.

Eu gostaria de ver alguns de nossos "governantes" na fila do INSS, esperando para marcar uma consulta para seu filho doente, para daqui a seis meses (com sorte!).

Eu gostaria de ver alguns de nossos "governantes" trabalhando, para variar, em vez de, durante dois dias da semana,
fingir que trabalham enquanto fazem seus "conchavos", viajando de graça , nos fins de semana, para "consultar as bases".

Sabe porque não vemos essas cenas?

Porque nossos governantes não andam de ônibus. Eles se locomovem com carros oficiais, escoltados por guarda-costas, e têm seu caminho aberto por batedores motociclistas. Ou simplesmente vão de helicóptero. Porque quando precisam ir ao médico, vão a hospitais particulares ou "furam" a fila dos hospitais públicos. Porque quando se metem em alguma enrascada, conseguem um "habeas-corpus" de um dia para o outro.

Mas o transporte público é uma excelente "desculpa" para exercer o "jogo do poder", como o são a saúde e o PNB e a "defesa da soberania nacional" das estatais. A máquina burocrática e arrecadadora é um fim em si mesma. O objetivo não é usar bem o que se arrecada, produzindo serviços públicos dignos do nome, mas impor mais (por isso chamam de imposto) regras e ônus, de modo a poder contratar mais e mais gente, criando os "currais" eleitorais modernos.

Alguém sabe o porque do interesse dos partidos em diretorias de estatais, fundos de pensão e autarquias, especialmente daqueles órgãos que dispõem de mais verbas?

Não me digam que nessas posições nossas "Excelências" têm mais condições de fazer funcionar os serviços. Não insultem minha inteligência!

O brasileiro é um povo inculto, mas não é burro!

O brasileiro está cada vez mais revoltado com a sem-vergonhice reinante e isso se traduz em uma exacerbação das atitudes de desafio contra as mínimas regras de convivência racional.

É isso que faz as pessoas jogarem lixo na rua, praticarem infrações de trânsito, trafegarem pelo acostamento, tentarem "levar vantagem" a todo custo (pobre Gerson, ficou com a fama), fazerem "gatos" na rede elétrica ou de TV a cabo, levarem lápis e borracha da empresa para casa e tantas outras "espertezas", que nada mais são do que revolta, tentativas de alguma compensação pelo sentimento de estarem sendo exploradas e espoliadas, justamente por aqueles em quem confiaram e para quem outorgaram a procuração de representá-las.

Eu não tenho mais idade para sonhar em ver esse cenário mudar. Só posso sonhar que ele mudará, graças à conscientização de pessoas melhores que eu, que possam fazer e que façam sua parte para que a mudança aconteça. Isso é um sonho que as próximas gerações devem tornar realidade.

Por isso, a mudança deve começar com as crianças. Eduquem as crianças e
no futuro teremos cidadãos, caso contrário só nos restará construir mais presídios de segurança máxima (o que não deixa de ser uma excelente oportunidade a mais para as "Excelências" conseguirem atingir os SEUS próprios inconfessáveis objetivos).

Sim. Isto foi um desabafo.

Mas é também uma tentativa de incentivar as pessoas a pensarem sobre a realidade, a não tratarem o assunto como algo "chato", coisa que só nos faz perder tempo...

Não espero que vocês concordem com minhas opiniões. Aliás, gostaria que os que discordam se manifestem, para que eu possa me livrar de pontos de vista solidificados e enxergar a realidade por ângulos novos, diferentes e talvez melhores. Isso me fará crescer e me permitirá refinar minha apreciação da realidade.

Afinal, somos ou não uma espécie racional, que deveria estar acima dos instintos predadores próprios de aves de rapina e de répteis?

Que a fome seja extinta e que o Palácio sofra uma indigestão "tsunâmica"...

(José Carlos G. Ribeiro)