terça-feira, 14 de outubro de 2008

Apenas 16% dos pedidos de portabilidade têm sucesso

Folha Online

Entre 1º de setembro e ontem, somente 16,3% dos 6.555 pedidos de portabilidade foram atendidos pelas operadoras de telefonia móvel, informa Julio Wiziack.

A portabilidade permite que o usuário mantenha o número telefônico ao mudar de operadora. Para ter acesso a esse recursos, o consumidor não precisará falar com a sua operadora atual. Ele deverá procurar a nova operadora, para a qual quer migrar, e apresentar o pedido, além de documentos pessoais. A antiga operadora, no entanto, deve ser contatada pela nova empresa para fechar a operação.

O problema detectado pelo GIP (Grupo de Implantação da Portabilidade), da ABRT, a associação que gerencia a portabilidade no país, é que as companhias ainda demoram muito em responder toda vez que são solicitadas pelos clientes.

Na primeira etapa da portabilidade, 17 milhões de clientes poderão fazer a migração. São eles os moradores de Avaré, Bauru, Lins e Marília (DDD 14) e Barretos, Catanduva, Santa Rita D'Oeste, São José do Rio Preto (DDD 17), em São Paulo, além dos DDDs 27, no Espírito Santo, 37, em Minas Gerais, 43, no Paraná, 62, em Goiás, 67, no Mato Grosso do Sul e 86, no Piauí. Para o restante do país, o serviço será implementado até fevereiro de 2009.

Outro lado

A ABRT disse que considera natural a troca de e-mail com a Anatel, que sugeriu a correção dos problemas técnicos das operadoras responsáveis pelos atrasos nas respostas de pedidos de portabilidade.

Por meio da assessoria de imprensa, a Oi esclarece que "está havendo necessidade de ajustes técnicos para garantir o melhor funcionamento dos processos". A TIM informa que o processo de portabilidade está no início e que nem mesmo os ciclos de faturamento se completaram. A Vivo informa que, do ponto de vista técnico, a companhia já está preparada e cumpriu o cronograma da Anatel.
.